Revista Cultural nomerevista@portugalmail.pt

terça-feira, agosto 10, 2004

Palhaçada No Campo

Professor H. Raki

Poema para os mais piquenos

Cão, lindo cão
Tens patas até ao chão
Estava a brincar com o meu pião
E vi-te ao pé do portão
Tu é que não viste o camião
E agora, cheio de ligaduras
Já não és o cão das minhas aventuras.
Já nem Os Cinco te querem
Para fiel companheiro
Dormes o dia inteiro
Nem atacas as verduras
Só dás despesas ao dono
Cão, lindo cão
Já não chegas ao Outono.

(ouvem-se palmas)

… e vós, caros amiguinhos, cá nos encontramos na próxima edição de “Histórias com Animais”, para mais um “Grande safari da pequenada”: o espaço que vos proporciona maravilhosas experiências com bichos dos mais diversos tipos. Eu, pessoalmente, gosto mais daqueles com saliências, com antenas firmes e rabos compridos… Hoje um papa-formigas, amanhã, quem sabe, um saca-rabos. Também, por alguma razão sou eu que escolho os bichos. E para as crianças também é bom. Ficam a conhecer mais relações que se pode ter no seio da mãe Natureza.
E assim me despeço. Até à próxima, óluais gó tu jangle uíd animales e trás dês âirvres cultiveite lês instintes fátales.

Escrevam, telefonem, mandem mails, faxes ou objectos pontiagudos, para: Programa “Prazer Selvagem”
Vale Varnuku, nº 2 ou 3
2700 Imaisvirão


E não se esqueçam da nossa canção, que hoje encerra a emissão:

“Tantos animais, nunca são demais
São todos diferentes, como as nossas gentes
Têm dois olhinhos e outros buraquinhos
Para descobrir e nos divertir
Somos crianças rabinas
E o nosso professor é cá uma maluca
Vai connosco à selva, vai connosco à gruta
Vai-nos ensinando e tudo mostrando
Junta-te a nós, se tens cinco a dez aninhos
Que o nosso professor gosta de nós fresquinhos!”

P.S. – Não percam o novo volume das aventuras d’A Serpente Vigente. O número 2, A Serpente Vigente no Frasco de Detergente, já está
nas bancas!